Post Top Ad

Web Radio Venus

PUBLICIDADE

quinta-feira, 24 de setembro de 2020

setembro 24, 2020

Ramal do Agreste: escavação do Túnel Ipojuca I é finalizada

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) concluiu, nesta quarta-feira (23), mais uma etapa de construção do Ramal do Agreste, em Pernambuco. A escavação do Túnel Ipojuca I, com 2,4 quilômetros de extensão, foi finalizada. Quando completo, o Ramal vai levar água do Projeto de Integração do Rio São Francisco à região de maior escassez hídrica no estado nordestino. Somente em 2020, foram investidos pelo ministério no empreendimento cerca de R$ 313,6 milhões.

Garantir abastecimento a populações que historicamente enfrentam escassez de água no Nordeste é um compromisso do presidente Jair Bolsonaro. Demos continuidade a esta e outras obras, pois elas garantirão mais saúde às famílias pernambucanas, além de estimular o desenvolvimento econômico e social”, destaca o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

A escavação está localizada entre os quilômetros 54 e 56 da obra. Foram utilizados explosivos cuidadosamente controlados em ciclos sucessivos de detonações, que foram condicionados pelas características geológicas das rochas encontradas durante o processo. O túnel custou R$ 19,6 milhões em investimentos federais.

Situado no norte de Pernambuco, próximo à fronteira com a Paraíba, o Ramal do Agreste tem 70,8 quilômetros de extensão, com uma capacidade de vazão de 8 mil litros por segundo. No total, serão atendidas 68 cidades e mais de 2,2 milhões de pessoas. Além de segurança hídrica, a expectativa é de que o empreendimento ajudará a impulsionar o desenvolvimento econômico da região.

No total, a obra está orçada em 1,67 bilhão e conta com cerca de 2,6 mil trabalhadores e cerca de 580 equipamentos. A entrega do empreendimento, que completou 70,6% de execução, está prevista para junho de 2021.

Assessoria de Comunicação Social – Ministério do Desenvolvimento Regional


sexta-feira, 11 de setembro de 2020

setembro 11, 2020

Vacina da Oxford pode ser concluída até o final do ano, diz presidente da AstraZeneca

 

O ensaio clínico da vacina da Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca pode ser completada ainda em 2020, segundo o presidente da empresa, Pascal Soriot.

O anúncio foi dado em uma entrevista à imprensa na manhã desta quinta-feira (10) com alguns investidores da companhia, dois dias após a empresa anunciar a pausa do estudo devido ao relato de efeito adverso em um voluntário.

A participante, uma mulher no Reino Unido que tomou a vacina, e não o placebo, apresentou sintomas neurológicos consistentes com uma inflamação espinhal rara, chamada mielite transversa, afirmou Soriot, ao mesmo tempo em que disse que o diagnóstico não havia sido concluído.

“Um comitê especialista deve ainda confirmar o diagnóstico, mas ela está melhorando e provavelmente terá alta do hospital até a próxima quarta-feira”, disse.

Em nota, a Universidade de Oxford afirmou que a pausa “é uma ação rotineira que deve acontecer sempre que houver uma doença potencialmente inexplicada em um dos estudos, enquanto ela é investigada, garantindo a manutenção da integridade dos testes”.

“Na AstraZeneca colocamos a ciência, a segurança e os interesses da sociedade no coração do nosso trabalho. Esta pausa temporária é a prova de que seguimos estes princípios, enquanto um único caso em um de nossos centros de testes é avaliado por um comitê de especialistas independentes”, completou Soriot. (Folha/PE)

setembro 11, 2020

Preço do arroz pode subir ainda mais, diz associação de supermercados

 

A tendência para o preço do arroz é de nova alta nos próximos dois meses se o consumo se mantiver no ritmo atual, afirma Ronaldo Santos, presidente da Apas (Associação Paulista de Supermercados). “Se a saca de 50 kg se mantiver na faixa de R$ 100, em 30, 60 dias podemos ver o repasse total ao consumidor no varejo. Pode ser que não chegue [ao repasse total], depende do mercado. A tendência é de alta, mas não em cima dos R$ 40 que estão comentando”, afirmou em entrevista à reportagem nesta quinta-feira (10).

Segundo ele, o preço médio do pacote de arroz vendido em supermercados paulistas é de R$ 20 (variando entre R$ 18 e R$ 23), e o preço poderia aumentar para cerca de R$ 30 nesse prazo. Os supermercados ainda não transmitiram todo o valor do alimento da indústria à gôndola, segundo Santos. Se o consumo não diminuir, o varejo terá de acessar novos estoques e um repasse seria inevitável, já que o preço na indústria deve se manter nessa faixa no curto prazo, afirma. (Folha/PE)

setembro 11, 2020

Homem é detido na BR 232, após comprar carro roubado no Recife

 

Veículo teria sido revendido de forma fraudulenta ao motorista
Um homem de 32 anos que estava em um veículo utilitário roubado foi detido nesta quinta-feira (10), durante uma fiscalização da Polícia Rodoviária Federal PRF, na BR 232, no Curado, na Zona Oeste do Recife. O veículo teria sido adquirido por R$42 mil e ainda estava sendo pago.
O flagrante foi realizado durante a abordagem a um carro com placas do Recife, no Km 6 da rodovia. Os policiais realizaram uma verificação no veículo e descobriram um registro de roubo do dia 2 de setembro deste ano na capital.
O motorista informou que havia adquirido o carro com um homem, que disse ter comprado em uma revenda de veículos. Mas a equipe descobriu que esse mesmo homem havia pego o automóvel emprestado e alegou ter sido roubado para fazer a transação ilegal.
O condutor foi encaminhado junto com o veículo à Central de Plantões da Capital, em Campo Grande na Zona Norte do Recife.
Assessoria PRF PE

sexta-feira, 4 de setembro de 2020

setembro 04, 2020

Chesf investe R$ 47 milhões no Ceará

 

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) está construindo no Ceará, com investimentos aproximados de R$ 47 milhões, o segundo circuito entre as subestações Russas II e Banabuiú.

Trata-se de uma linha de transmissão de aproximadamente 112Km de extensão (atravessa cinco municípios), com tensão de 230kV em circuito simples, 225 estruturas e uma entrada de linha em cada subestação interligada.

Esse reforço aumenta a confiabilidade do sistema elétrico evitando sobrecarga no único circuito que hoje atende à demanda, considerando o potencial previsto na região conectado nas subestações Russas II, Mossoró II e ICG Mossoró III.

O empreendimento permitirá um incremento de receita anual de mais de R$ 5,5 milhões aos cofres da Empresa.

Por – Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf)

setembro 04, 2020

Governo envia ao Congresso proposta de reforma da administração pública


Objetivo das mudanças previstas é modernizar o Estado e melhorar a qualidade do serviço prestado ao cidadão O Governo Federal encaminhou ao Congresso Nacional, nesta quinta-feira (03), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para a nova administração pública que estabelece mudanças nas regras do funcionalismo público. De acordo com Ministério da Economia, as mudanças buscam modernizar o Estado e melhorar a qualidade do serviço prestado à população. A proposta de reforma administrativa prevê transformações estruturais ao estabelecer novos regimes de vínculo no serviço público, alterações na organização da administração pública, na gestão de desempenho, nas diretrizes de carreira, nas funções, gratificações e ajustes no estatuto do servidor. As novas regras valerão apenas para os servidores que forem contratados após a aprovação das alterações. Para os servidores atuais, permanece sem mudanças. Segundo o secretário especial da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Caio Mário Paes de Andrade, a reforma administrativa é fundamental diante do atual cenário brasileiro. “O cenário atual é insustentável porque temos a perda da capacidade de investimento, temos a falta de recursos para manter a prestação de serviços básicos, os equipamentos começam a sofrer e, finalmente, temos o comprometimento do limite da folha de pagamento”, disse. “Não mexeremos na estabilidade e nos vencimentos dos servidores atuais. Mantivemos na nova administração o que o modelo atual tem de bom, estamos mantendo o concurso público, a transparência tão cara a todos os governos, a atratividade”, acrescentou o secretário especial. Mudanças propostas O atual regime jurídico único para ingresso no serviço público dá lugar a cinco vínculos distintos, alguns deles sem a garantia de estabilidade. Fica previsto, por exemplo, o ingresso por seleção simplificada para cargo de liderança e assessoramento e para vínculo por prazo determinado. Um exemplo desse último caso seria a contratação temporária de profissionais especializados para vistoriar barragens no país. A proposta prevê ainda mudanças na forma de desligamento dos servidores. Os motivos previstos atualmente são sentença judicial transitada em julgado, infração disciplinar e insuficiência de desempenho. Este último ainda precisa de regulamentação. O desligamento passaria a ser possível sem a necessidade de aguardar o trânsito em julgado da sentença, valendo também a decisão judicial proferida por órgão colegiado. E o rendimento insuficiente será regulamentado por lei ordinária. Não será mais necessária lei complementar. A proposta simplifica as regras de acumulação de cargos. O servidor pode acumular mais de um cargo, desde que observada a compatibilidade de horário. No caso do ocupante do cargo de carreira típica de Estado, só é permitido o acúmulo para atividade de docência e da área de saúde. Para o secretário especial Caio Mário Paes de Andrade, o Estado brasileiro está refém de regras ultrapassadas que engessam a prestação de serviço e oneram a máquina pública. “Esse não é um projeto de governo, é um projeto de Estado. É a diferença entre o novo e o velho, entre se inserir no mundo e ou se isolar do mundo. São as bases de uma nova forma de administrar o país. Essa não é uma missão somente do Governo Federal, a sociedade precisa entender os desafios colocados e ajudar, através de todos os meios democráticos e republicanos, a pautar a discussão”, disse. Benefícios Para os novos servidores que ingressarem no serviço público ficam proibidos a promoção ou progressão exclusivamente por tempo de serviço, o adicional por tempo de serviço, aumentos retroativos e a redução de jornada sem redução de remuneração, salvo por motivo de saúde. Fica vedado também mais de 30 dias de férias por ano e a aposentadoria compulsória como modalidade de punição. Fica proibida também a incorporação de cargos em comissão ou funções de confiança à remuneração permanente. E estabelece a aposentadoria compulsória aos 75 anos para os empregados públicos, o que hoje vale apenas para os servidores públicos. Congresso Nacional A reforma administrativa ainda precisa ser analisada e aprovada pela Câmara e pelo Senado para virar lei. “Sabemos que o Congresso Nacional, como sempre faz quando chamado, saberá conduzir essa grande transformação administrativa”, disse o secretário especial Caio Mário.Fonte:Didi Galvão

Translator