Post Top Ad

Radio Web São Sebastião

PUBLICIDADE

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Quase 5,5 mil homicídios sem solução só na capital pernambucana

Apesar de a Secretaria de Defesa Social (SDS) divulgar que as taxas de homicídios estão caindo, os números mostram que a impunidade impera em Pernambuco e precisa ser combatida com mais eficiência. 
 
O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investiga os assassinatos na capital, acumula quase 5,5 mil inquéritos sem solução. Os dados são referentes aos anos de 2009 até abril de 2019.

Em funcionamento desde 2007, o DHPP conta atualmente com cinco delegacias de homicídios. Cada uma sob a coordenação de dois delegados, em média. Cada unidade conta com mais de mil inquéritos para investigar – apesar de o número de profissionais de segurança ser bem abaixo do esperado para dar conta da demanda.

Crimes ocorridos em 2009, ou seja, há uma década, continuam impunes. São famílias, enlutadas, que permanecem com o gosto amargo da injustiça. Estatísticas revelam que 410 inquéritos de homicídios registrados naquele ano estão parados no DHPP.
 
 Outros 336 inquéritos, do ano de 2010, também não foram resolvidos. Esses números foram obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI).

Policiais ouvidos em reserva pelo Ronda JC relatam dois problemas. O primeiro, já dito, é falta de efetivo para dar conta do grande número de investigações. O segundo: a ordem da chefia da Polícia Civil, segundo eles, é investir nas investigações dos crimes mais recentes, ou seja, aqueles registrados neste ano. “A orientação é esquecer os demais.
 
 O objetivo é mostrar à população que a polícia está resolvendo os crimes rapidamente. Mas as mortes dos anos anteriores vão continuar sem solução porque não deixam a gente investigar”, relatou um delegado.

Em vídeo publicado nas redes sociais, no mês passado, o chefe da Polícia Civil, Joselito Kerhle, afirmou que 53% dos homicídios registrados no Estado em 2018 foram solucionados. O restante segue sem resposta. (Via: Ronda Jc)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translator