Post Top Ad

Web Radio Venus

PUBLICIDADE

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Justiça: Beatriz se viva fosse completaria neste domingo (11), dez anos de idade

CasoBeatriz2anose2meses
O assassinato de Beatriz Angélica, morta com 42 facadas dentro da Escola Nossa Senhora Auxiliadora em Petrolina, completou ontem, (10), dois anos e dois meses, sem que a Justiça aponte a solução do crime. 

 Beatriz foi assassinada no dia 10 de dezembro de 2015, durante uma festa de formatura no colégio. 

Até o momento a Policia não conseguiu desvendar o autor e ou os mandantes do crime. Ninguém foi preso.


Beatriz nasceu no dia 11 de fevereiro de 2008, portanto, se viva fosse completaria 10 anos de idade, neste domingo.

 A família e amigos continuam solicitando as autoridades de segurança pública empenho para solucionar o caso.

 Segundo as investigações, o crime teria sido premeditado e os suspeitos conheciam bem a escola.


De acordo com a polícia, três chaves da escola sumiram antes do crime, no dia 25 de novembro de 2015. 

Na ocasião, o molho de chaves foi passado por alguns funcionários da escola, que registraram o desaparecimento. 

As chaves dariam acesso aos portões internos e externos da escola. “Além disso, no momento do crime, toda a iluminação estava desligada. As lâmpadas da escola estavam todas apagadas nos corredores. 

Ou seja: visibilidade zero”, disse o delegado na época.
“Todas as manhãs eu acordo e sinto aquele impacto da dor e da realidade. 

Elucidar um caso como este é necessário. Existe um monstro no meio da sociedade solto”, diz o pai de Beatriz, Sandro Romilton.

 “É como se algo tivesse tirando de dentro de mim todas as minhas forças e todos meus sentimentos”, completa a mãe, Lúcia Mota.


Até agora o suspeito pela morte da garota não foi preso. A Polícia Civil conseguiu imagens que revelam a face do autor do crime. 

Para os investigadores, não há dúvidas de que o homem que aparece nas filmagens de câmeras de segurança de estabelecimentos próximos ao Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, onde ela estudava e foi assassinada, é o autor do crime.

O Disque-Denúncia oferece R$ 10 mil de recompensa para quem tiver informações sobre a localização do acusado no video.

  Quem tiver informações sobre o caso, deve ligar (81)3719-4545, watsap (87)9-8878-5733 e (87)9-8137-3902. O sigilo é absoluto e a recompensa é de R$ 10 mil.
Fonte Geraldo José

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translator